Outubro Rosa: a importância do auto exame e o diagnóstico precoce do câncer de mama

O mês de outubro é marcado pelo rosa, cor que nos remete a campanha de conscientização da prevenção e diagnóstico do câncer de mama. Diversas campanhas e ações, seja em âmbito nacional, estadual ou municipal, estão sendo realizadas ao decorrer deste mês, assim como a representação da cor rosa em monumentos e locais públicos, como forma de ressaltar a importância do combate dessa doença, que é a segunda que mais mata mulheres no Brasil todos os anos, ficando atrás apenas das doenças do sistema circulatório.

Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), são estimados para este ano mais de 66 mil novos casos da doença, e a maioria deles, infelizmente, por conta do diagnóstico tardio e pela demora no início do tratamento. Um fator importante para prevenção é o diagnóstico precoce, pois o câncer de mama em estágio inicial, se constatado rapidamente e tratado de forma adequada, haverá 95% de chances de cura.

A ginecologista Cláudia Pinto explica que por conta da pandemia do novo coronavírus, houve um aumento significativo dos casos em virtude do processo de estresse devido a momento único que estamos vivendo neste século. “Todo processo de estresse ele gera no organismo uma oxidação que faz com que ocorra processo inflamatórios, desencadeando um câncer. Há também casos onde a paciente já tinha anteriormente, seja por conta da genética ou pela alteração oxidativa do organismo, tendências a desenvolver o câncer. E durante a pandemia, teve um aumento dos casos em virtude disso, como gatilho emocional, espiritual, homeostático do organismo, entre outros”.

A ginecologista Cláudia Pinto alerta para a necessidade para o diagnóstico precoce da doença, além da humanização dos especialistas no tratamento dela / Foto: Arquivo Pessoal

Todos esses fatores influenciam para que ocorra o desencadeamento de uma situação mais grave no organismo, através da acidificação dele, ocasionando a proliferação de células malignas.

Outro ponto que é pouco abordado, mas considerado temido por todas as mulheres que fazem os exames, é em relação ao resultado positivo a biopsia do câncer, Cláudia fala sobre a importância de se avaliar a paciente como um todo: mente, corpo e espírito. “Pois a partir do momento que a paciente tem uma resposta positiva para o câncer, ela altera todo fator hemodinâmico, psicológico e emocional. Nisso também é imprescindível o encaminhamento ao psicólogo, para seu acompanhamento mental e emocional, nutricionista para que ela possa ter uma alimentação saudável e balanceada, além do oncologista integrativo para que, em caso de autorização da paciente, sejam realizadas a quimioterapia e a radioterapia”.

A especialista também faz um alerta para os casos em que médicos obrigam a paciente a submeter aos tratamentos químico e radio oncológicos para doença, sem antes de todo o acompanhamento integral. “Isso chega a ser até um constrangimento muito grande quando pacientes chegam ao nosso consultório e dizem que fez quimioterapia e radioterapia obrigadas pelos oncologistas. Ficamos muito indignados com este tipo de situação, pois estes tipos de tratamento costumam ser muito agressivos ao paciente, fazendo com que ele morra devido a ele, e não ao câncer. Por isso a importância de toda a assistência médicas de outras áreas antes destes tipos de procedimentos”.

Vale ressaltar que não é somente em outubro que a mulher deve se atentar ao auto exame e a ida ao ginecologista, e sim, a todo o momento. Atualmente, o aumento do câncer de mama não se deve somente a falta do auto exame, mas também pela falta de acompanhamento do paciente pelo obstetra ou ginecologista, como também outros profissionais da saúde. “Pacientes que vão regularmente ao ginecologista as chances de ter resultado excelente no tratamento do câncer de mama é 100%, quando se tem o diagnóstico precoce”.

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email

Conteúdo relacionado